Descarte irregular de máscaras agrava a poluição

Um novo tipo de poluição está ameaçando a saúde dos oceanos desde o início da pandemia de Covid-19: o descarte irregular de máscaras descartáveis.

EPIs como luvas de látex e, principalmente, máscaras descartáveis, estão sendo cada vez mais encontrados nas águas em diversas partes do mundo.

Com efeito, a ONG francesa “Operation Mer Propre” fez o alerta:

“Há um mês, estamos começando a vê-las no mar pela ação das chuvas. É um novo tipo de poluição dos oceanos”.

Laurent Lombard, membro da organização, faz um alerta: “Sabemos que em breve correremos o risco de ter mais máscaras do que águas-vivas no Mediterrâneo”.

De fato, o descarte de forma incorreta, seja da máscara ou qualquer outro resíduo, na maioria dos casos, vai direto para o oceano.

A saber, esses resíduos serão carregados pela água da chuva para um córrego, que segue para um rio até chegar aos oceanos.

“Estamos tão preocupados com a nossa saúde, que ainda não entendemos que fazemos parte de uma teia da vida e o descarte incorreto das máscaras vai virar microplástico no oceano. Estamos criando um oceano de plástico e isso é muito triste”, desabafa o ambientalista.

Para tentar amenizar essa consequência, o Ministério do Meio Ambiente francês aumentou as multas para o descarte irregular de lixo de 68 Euros para de 135 a 750 Euros.

Contudo, a triste realidade é que a maioria dos países ainda age como se não houvesse esse tipo de problema. Isso precisa mudar urgentemente.

A saúde dos mares agradece.

Coletamos dados para melhorar o desempenho e segurança do site, além de personalizar conteúdo e anúncios. Ao continuar, você concorda com nossa Política de Privacidade.

Conversar
1
Precisa de Ajuda?
Olá!
Em que podemos lhe ajudar?